Guia da Tinta Automotiva

No comments yet

guia pintura automotiva

Ao escolher um carro novo ou seminovo, alguns fatores devem influenciar na decisão, como autonomia, custo de manutenção, preço e cor. Contudo, identificar qual o tipo de pintura que foi realizada no veículo na hora da compra é um desafio.

A pintura mais encontrada no mercado é a sólida. Nesse processo, são usados os pigmentos de cores, com tinta poliéster, por exemplo, nas cores mais convencionais como branco, cinza, prata e preto.

Já a pintura metálica, que pode ser produzida a base de poliéster ou de água, tem pigmentos metálicos que provocam um efeito diferente das pinturas sólidas.

Esse tipo de tinta reflete mais a incidência de luz e dá a impressão de uma cor mais viva e brilhante no veículo. Dependendo da montadora, ela tem o seu custo um pouco mais elevado.

O terceiro tipo de pintura, e também a mais cara, é a perolizada. A tinta recebe uma certa quantidade de pó de pérola e partículas de mica (pigmento mineral).

A tinta perolizada proporciona ao carro um aspecto mais intenso, com uma cor mais vibrante e ajusta um efeito de mudança de cor dependendo do ângulo que se observa.

Cuidados com a pintura

Para conservar o visual do seu carro sem arranhões, manchas e riscos, seguem algumas dicas que protegem toda a pintura do veículo. Confira:

– Evite o excesso de polimento;
– Para quem não usa o veículo todos os dias, a dica é o uso das capas de proteção adequadas para automóveis, com forro interno;
– Ao lavar o carro, escolha por usar elementos neutros, como xampu, detergentes ou sabão neutro;
– Aplicar cera comum ou cristalizadora diminui os danos ocasionados pelos raios ultravioletas e facilita nas futuras lavagens, impedindo que a sujeira fixe na superfície da lataria do carro;

Como diluir tinta automotiva

Antes de utilizar uma pistola de pintura e dar inicio a pintura, é importante diluir a tinta. A tinta deve passar facilmente pelo bico de pulverização da pistola para que a cor fique uniforme na superfície do automóvel. Se a tinta ficar muito grossa, você não terá um fluxo uniforme pelo meio do bico da pistola e ele vai ficar obstruído continuamente.

Instruções de preparo

– Prepare a tinta para a diluição.
– Conserve a quantidade adequada que vai necessitar para seu projeto. É melhor organizar de uma única vez toda a tinta que vai precisar, garantindo assim, que toda a tinta fique diluída de maneira uniforme.
– Coloque-a em um recipiente plástico.

Instruções de uso

– Preencha o pulverizador com solvente. Você deve escolher o solvente adequado para misturar com o tipo de tinta automotiva que será usado. Os componentes da tinta definirão o tipo de solvente que você vai precisar.

– Siga as orientações no rótulo da embalagem do solvente que escolher.

– Aplique o solvente usando um pulverizador vai facilitar o manuseio e diminuir as chances de adicionar solvente em demasia e arruinar a tinta.

– Não existe uma proporção exata entre solvente e tinta. Essa proporção altera bastante, dependendo das marcas e até mesmo das cores. É melhor seguir as instruções do fabricante para um cálculo aproximado. Para melhores resultados, borrife o solvente na tinta algumas vezes enquanto mistura com uma vareta. Isso vai te permitir monitorar a consistência da tinta durante o processo, ao invés de tentar adivinhar a quantidade que vai precisar.

– Uma vez obtida a consistência apropriada, mexa muito bem a mistura. Para testar a consistência, pegue o recipiente de tinta e incline-o com gentileza de um lado para o outro. Antes de adicionar o solvente, a tinta deve ter um fluxo lento, escorrendo devagar pelas laterais do recipiente quando inclinado. Uma vez atingida a consistência correta, a tinta vai escorrer na mesma velocidade da inclinação do recipiente. Tenha em mente que você não deseja que a tinta fique muito fina, o que vai se tornar evidente se o movimento da tinta for mais rápido que o movimento de inclinação do recipiente.


Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *